Foto:

Escutar Programa

22- Povo Ashaninka na Rio +20
26/09/2012


Aldeias Sonoras traz neste programa depoimentos dos irmãos Moisés e Benke do povo Ashaninka, parceiros comprometidos com uma importante missão: a luta para a manutenção da cultura e dos conhecimentos tradicionais do povo Ashaninka, pela preservação e valorização da floresta e da vida . O povo Ashaninka vive no Brasil, no Estado do Acre, e do outro lado da fronteira, no Peru.


Músicas: povo Ashaninka

1 COMENTÁRIO(S)

Mustafa Yazbek escreveu:
28/09/2012 às 13:50:55

Os índios do Brasil precisam ser ouvidos. Gente que merece ser respeitada e valorizada. Para isso está presente o programa radiofônico Aldeias Sonoras ao transmitir a voz de todo um povo, permitindo que se possa entender como ele pensa e como ele é. É uma contribuição para o maior entendimento da história e da cultura das comunidades indígenas, contribuindo para seu fortalecimento. Informa sobre o cotidiano das aldeias, a saúde, a educação, as artes, a relação com o meio ambiente, a convivência com as cidades que avançam sobre os territórios tradicionais. Aldeias Sonoras permite que os indígenas sejam conhecidos em seu pensamento, história, narrativas e músicas. Eles têm, portanto, um amplo espaço de divulgação com a palavra de lideranças das aldeias, de jovens que não ignoram suas raízes, de estudantes, todos sempre revelando a luta pela manutenção das tradições e a conquista de espaços e direitos. Ampla faixa de público acompanha Aldeias Sonoras: ouvintes fiéis, não só em São Paulo mas em todo lugar alcançado pela rádio. As aldeias do país se fazem ouvir com depoimentos, denúncias, hoje quando direitos assegurados pela Constituição não foram consolidados e conflitos parecem permanentes. A ignorância sobre indígenas os mantém à margem da sociedade brasileira. Transformar esse quadro não deixa de ser um desafio enfrentado pelos indígenas e por quem, como os responsáveis por Aldeias Sonoras, se preocupa em difundir e preservar a cultura indígena.





DEIXE O SEU COMENTÁRIO:

Nome:
E-mail:
Comentário: