NÚCLEO DE CULTURA INDÍGENA

O Núcleo de Cultura Indígena – NCI é uma organização não governamental criada em 1985, com sede atualmente em Nova Lima, Minas Gerais. 

Sua criação como organização não governamental veio dar personalidade jurídica à União das Nações Indígenas – UNI, que nunca conseguiu seu registro legal.  A compreensão do Estado era de que o Brasil é uma única nação, não reconhecendo aos povos indígenas o direito a sua territorialidade, identidade e organização social e política.

Apesar dos avanços da Constituição de 1988, essa questão polêmica ainda permeia os conflitos de interesse entre parte dos brasileiros e os povos indígenas que continuam sem saber qual o lugar que lhes foi destinado nesta nação, formada sobre seus territórios.

A UNI e o Núcleo de Cultura Indígena representavam um novo jeito de organização, mais próximo da tradição dos povos indígenas, surgindo num momento ainda delicado de retomada democrática do país.

As lideranças então à frente do movimento, como Ailton Krenak e Álvaro Tukano, viajaram por todo o país, visitando cada comunidade indígena e mobilizando esses povos pela unidade, pela superação dos conflitos interétnicos, pela garantia dos direitos básicos a esses povos.

A importância desse movimento extrapolou as fronteiras do país. Organizações indígenas de várias regiões do mundo foram aliadas, parceiras e interlocutoras no processo de afirmação dos povos indígenas do Brasil.

Governos e instituições internacionais reconheceram também a importância dessas organizações brasileiras, concedendo prêmios importantes a lideranças por seu trabalho em defesa dos direitos indígenas.